ūüćá O potencial da Bonarda por Alejandro Vigil

Falar em Bonarda √© falar em vinho argentino. A uva √© uma das mais importantes variedades tintas da Argentina, e fica atr√°s apenas da Malbec em n√ļmero de hectares plantados. Introduzida em Mendoza por imigrantes europeus no final do s√©culo XIX, por muitos anos foi identificada com uma videira do Piemonte de mesmo nome. Mas an√°lises ampelogr√°ficas e de DNA a identificaram como sendo a Corbeau Noir, uma uva da regi√£o de Savoy (Saboia), nos Alpes franceses.

Hoje, a maior parte da Bonarda argentina é cultivada no leste de Mendoza, uma zona quente com altitude média de 600 metros. Neste terroir o estilo do vinho é suculento e intenso com perfil frutado. Além da boa adaptabilidade que a videira desenvolveu nas terras baixas de Mendoza, existem por lá milhares de vinhas velhas, cultivadas em pé franco, de baixo rendimento com fruta de alta qualidade. Uma parcela desses vinhedos pertence à vinícola El Enemigo.

O solo √© perfeito para receber videiras, pois √© pobre em mat√©ria org√Ęnica e rico em minerais e calc√°rio rochoso. A combina√ß√£o da altitude (que gera noites e manh√£s frias), da luminosidade e do solo, geram uvas que resultam em vinhos intensos e elegantes, hoje em dia, considerados entre os melhores da regi√£o.

 

 

Eu Quero

 

A premiada vinícola El Enemigo é o projeto conjunto de Alejandro Vigil, enólogo chefe de Catena Zapata, e de Adrianna Catena, filha mais nova de Nicolás Catena. Patrício Tapia concedeu 92 pts no Guia Descorchados, destaca os sabores das frutas negras doces (como amoras em geleia) e a boa textura de seus taninos afiados, que suportam a sensação de frescor e tensão. Os aromas de ervas são levados até o final em uma Bonarda de vinhedos de mais de 100 anos.

A safra também levou 91 pontos por Robert Parker e 93 James Suckling.

 

APROVEITE AGORA