Lune d'Argent 2018

PRODUTOR:
Clos des Lunes
PAÍS:
França
REGIÃO:
Sauternes
SELLER:
Élevage Brasil
R$ 315
“Preciso – Característico – Equilibrado”, são essas três palavras que o produtor Clos des Lunes utiliza para descrever estre vinho.

Clos des Lunes


Localizado em Sauternes, em um dos principais terroirs de vinho branco da França, o Clos des Lunes é um magnífico vinhedo de vinhas velhas de sémillon e sauvignon blanc. As práticas de vinificação no Clos des Lunes inspiram-se nas do Domaine de Chevalier e se beneficiam de uma experiência na criação de impressionantes vinhos brancos secos. “Um bom vinho se origina de ótimas frutas. É a expressão natural de um grande terroir. O homem simplesmente revela … O terroir determina tudo”, explica Olivier Bernard, proprietário do vinhedo. Essa abordagem, baseada em um respeito absoluto pelo terroir e pela fruta, é posta em prática através de uma busca interminável de qualidade por meio de pesquisa e aperfeiçoamento constante. A colheita em Clos des Lunes é realizada manualmente, com extremo cuidado e várias passagens pelas vinhas à medida que as uvas atingem a maturidade, sempre durante a manhã. Esse nível de precisão ao longo dos processos de coleta e triagem permite obter frutas perfeitamente maduras. Na adega, a pureza da fruta permite uma vinificação natural simples que as propriedades individuais do terroir se revelem. Seguindo a abordagem precisa da vinificação ocorre em pequenas cubas termo-reguladas de 50 hectolitros ou em barris. Isto é determinado de acordo com a qualidade do vinho, após uma prensagem lenta e muito suave das uvas.

Sauternes


Para a produção de Sauternes, as uvas são colhidas à mão, baga por baga, através de múltiplas passagens no vinhedo. Apenas as uvas que são infectadas com Botrytis são colhidas. Como este fungo leva tempo para se espalhar, a colheita dura de 6 a 8 semanas desde meados de setembro até novembro, embora, às vezes, se estique até dezembro adentro. Em regra geral, uma videira de uvas botritizadas produz de 1 a 3 taças de vinho. O vinho final deve possuir um açúcar residual superior a 4,5% (45 g). Dependendo do percentual de Sémillon e de Sauvignon no corte os sabores podem variar do damasco até abacaxi, mas tem algo em comum todos os outros vinhos doces feitos a partir de uvas afetadas pelo Botrytis ou podridão nobre: o mel. O clima temperado de Bordeaux garante uma boa acidez nos vinhos para equilibrar o nível elevado de açúcar; algo que muitas vezes falta nos vinhos de sobremesa nas regiões quentes. Saiba mais sobre Sauternes na Revista Adega.