Josmeyer Fleur de Lotus 2018

PRODUTOR:
Josmeyer
PAÍS:
França
REGIÃO:
Alsácia
SELLER:
Élevage Brasil
R$ 315
Fleur de Lotus faz menção ao grandioso potencial de harmonização deste vinho com a gastronomia asiática.

Josmeyer


Apesar da família Meyer já atuar como Negociant desde 1854, a vinícola só foi criada, de fato, na quinta geração da família, em 1963, quando Hubert Meyer adicionou as 3 primeiras letras do nome de seu pai (Joseph) ao seu sobrenome e, assim, criou a Josmeyer. Em 1966 Jean Meyer começou a trabalhar com seu pai e trouxe um caminho de modernidade e criatividade para vários aspectos da produção de seus vinhos, incluindo a transição para a produção orgânica e biodinâmica iniciada em 1995 e com a certificação de todos seus vinhedos em 2004, além da criação da “Artist Series”, em 1987, onde os rótulos de alguns dos vinhos são criados por artistas contemporâneos e trocados a cada dois anos. O seu trabalho elevou a propriedade a um dos grandes nomes da Alsácia. Hoje quem segue esta belíssima história são as irmãs Celine e Isabelle Meyer, as duas filhas de Jean. Celine, a mais nova, é a CEO, responsável por toda a gestão da vinícola enquanto Isabelle é a enóloga responsável pela produção dos incríveis vinhos da Josmeyer. A propriedade de 28 hectares está situada em Wintzenheim, próximo à cidade de Colmar, e se beneficia de uma das mais baixas precipitações anuais da França. Lá cultivam as uvas Riesling (28%) e Pinot Blanc e Auxerrois (24%), Pinot Gris (21%), Gewurztraminer (19%) além de Sylvaner, Muscat e Pinot Noir (10%) em 5 terroirs distintos, sendo 2 classificados como grand cru: Hengst e Brand. Uma vez colhidas a mão, as uvas passam por uma prensagem suave seguida de fermentação natural em barris de 100 anos de idade, onde, em alguns casos também envelhecem com as leveduras. Os vinhos de Josmeyer são caracterizados pelo frescor, complexidade e mineralidade, com cada um dos 5 terroirs contribuindo para diferentes expressões das uvas. São verdadeiros vinhos de caráter e, embora seus rótulos possam sugerir uma certa brincadeira, eles certamente são vinhos sérios.

Alsácia


Terra disputada entre Alemanha e França, a Alsácia foi palco de grandes disputas, as quais foram finalizadas quando finalmente se tornou território francês ao final da 2ª. Guerra Mundial. Esse vai e vem cultural deixou heranças alemãs aos vinhos da região, como a rotulagem varietal, as garrafas flutês e a Riesling, a casta mais importante da região. Berço de vinhos brancos inesquecíveis e longevos, tem uma única casta tinta autorizada, a Pinot Noir. Conheça mais sobre a região na Revista Adega.