Amayna Pinot Noir 2017

PRODUTOR:
Garcés Silva Family Vineyards - Amayna Boya
PAÍS:
Chile
REGIÃO:
Leyda
SELLER:
Mistral
R$ 376,22 R$ 319,79
este é um Pinot Noir maravilhoso, de muita profundidade, combinando potência, elegância e complexidade. Tem uma textura aveludada e um longo final de boca

Amayna

 

Amayna foi das primeiras vinícolas a apostar em Leyda, em 1999, quando a viticultura ali não havia se desenvolvido nem havia como prever que esta fria e costeira zona se converteria em uma das denominações mais prestigiosas do Chile. Propriedade da família Garcés Silva, Amayna - cujo nome faz referência à diminuição da intensidade do vento: amainar - se distinguiu desde o começo de outros produtores de Leyda com vinhos mais maduros, amplos e brancos com estágio em madeira, como o Sauvignon Blanc Barrel Fermented, dos mais singulares da cena nacional. O estilo de Amayna foi desenhado pelo enólogo suíço Jean-Michel Novelle, que segue como assessor. Desde o ano 2015 o enólogo é Diego Rivera, tanto para Amayna quanto para Boya, a outra marca da família Garcés Silva, que também vem de seus vinhedos em Leyda - 22 hectares exclusivos para essa linha -, mas com uma proposta de vinhos mais jovens, ligeiros e amáveis.

Pinot Noir 

 

A Pinot Noir é certamente uma das mais antigas castas de que se tem notícia. Acredita-se que já era cultivada na Borgonha há aproximadamente 2.000 anos, quando os romanos chegaram à região. O primeiro registro escrito de sua existência, entretanto, data de 1375, e a primeira alavancada lhe foi dada quando uma ordem banindo a produção de Gamay em seu favor foi lançada por Filipe de Valois, Duque da Borgonha, que viveu no século XIV. O nome "Pinot Noir" faz alusão à aparência do cacho, cujos bagos bastante escuros agrupam-se formando um conjunto cônico, que lembra uma pinha. Desenvolve-se, principalmente, em climas mais frios.